A análise tributária ajuda, até mesmo, a ampliar a competitividade da empresa no mercado. Especialista da Central explica como começar

Lidar com a carga tributária de um negócio é um dos maiores desafios para todo empresário. Em especial no Brasil, onde cerca de 35% do Produto Interno Bruno é proveniente da arrecadação de impostos. Ou seja, uma boa fatia do que é produzido no país é convertida em tributos destinados ao Governo. Por isso, saber quais impostos recolher e qual regime fiscal escolher é tão essencial. Como? Por meio de um Planejamento Tributário, ferramenta que por muitas vezes é o diferencial para o sucesso da empresa.

Mas afinal, o que é um planejamento tributário? A chamada ‘contabilidade tributária’ utiliza como princípio as normas básicas da contabilidade e a legislação vigente para a sua adequação. Em outras palavras, o planejamento tributário utiliza como base uma análise realizada de acordo com o porte, o volume de negócios e a situação econômica da empresa para que seja escolhida a melhor forma de recolher impostos com menor desembolso possível.

Segundo o diretor executivo da Central, Marcelo Munhão, especialista em contabilidade há mais de 30 anos, no planejamento tributário se leva em consideração todos os aspectos da organização fiscal da empresa, que pode incluir impostos nos âmbitos Federal, Estadual e Municipal. “Independentemente do Estado onde ela está inserida, analisa-se todos os fatores que impactam no recolhimento de impostos para viabilizar o regime tributário mais assertivo”, destaca.

A análise tributária é de grande importância para o crescimento do negócio, pois pode evitar problemas fiscais, ajudar a empresa a projetar com mais acerto sua margem de lucro, calcular melhor os preços de seus produtos e a pagar menos impostos, ampliando sua competitividade no mercado.

“Conhecer os tributos cobrados e que fazem parte do negócio é o primeiro passo para não ser surpreendido com cobranças que podem desestabilizar o fluxo de caixa e para gerar soluções economicamente sustentáveis. Por isso, qualquer empresa, de porte pequeno às multinacionais, deve ter um estudo e, consequentemente, um planejamento tributário”, aponta Marcelo.

Por onde começar o planejamento?

Primeiramente, é indicado é buscar o suporte de um profissional especializado na área tributária/fiscal, ou seja, um contador. Afinal, é na parte contábil da empresa onde tudo acorre e fica registrado. Tanto é que quando a empresa apresenta algum problema econômico e é a esse profissional que o empresário deve recorrer para saber o que está acontecendo. 

Como aliviar a carga tributária da empresa?

Carga tributária é, basicamente, a relação entre o conjunto de impostos e tributos arrecadados pelo Governo de um determinado País por toda a sua cadeia produtiva somada ao Produto Interno Bruto (PIB) do mesmo. Em decorrência da estabilização da economia, a carga tributária brasileira cresceu e hoje é aproximadamente 35% do PIB.

Para aliviar essa carga é possível adotar três caminhos:

  1. Evitar a incidência de impostos: aproveitar uma regra de isenção de impostos do seu município, caso ela exista, é uma boa saída. Ao adotar esse procedimento a ocorrência do fato gerador do tributo acaba sendo impedida.
  2. Reduzir os valores totais a serem recolhidos: a redução pode ser feita após analisar criteriosamente as regras de cada imposto pago, reduzir a contribuição para o Seguro de Acidentes de Trabalho (SAT) ao diminuir o Fator Acidentário de Prevenção (FAP), ou aproveitando políticas de incentivo que possibilitem essa redução de taxas.
  3. Retardar os pagamentos: essa estratégia pode ser útil para quando você está com pouco capital de giro. Mas atenção: ela deve ser usada sabiamente, pois existem sim ações que permitem a retardação do pagamento de tributos sem multas, porém é necessária uma pesquisa minuciosa anteriormente para que tudo seja feito legalmente e sem riscos para a saúde do negócio.

 

Quer saber mais sobre planejamento tributário? Entre em contato com os nossos especialistas. Estamos à postos para auxiliar a sua empresa na adequação fiscal! Escreva para contato@central-rnc.com.br ou ligue para (27) 2104-8300.